Congresso Brasileiro de SIPAs ocorre em Cascavel e pretende trazer conhecimento das universidades para o campo

Acontece dos dias 21 a 24 de agosto, no Centro de Convenções e Eventos de Cascavel, o I Congresso Brasileiro de Sistemas Integrados de Produção Agropecuária, juntamente com o IV Encontro de Integração Lavoura-Pecuária no Sul do Brasil. O objetivo do evento é catalisar e promover o intercâmbio das informações geradas pelas várias instituições de pesquisa e universidades e Cascavel, a capital do agronegócio, foi escolhida para recebê-lo.

Os Sistemas Integrados de Produção Agropecuária (SIPA) são métodos altamente promissores, capazes de otimizar a produção de grãos e a pecuária. Este sistema pode ser adotado tanto em grandes quanto em pequenas propriedades. Mais de 20 palestrantes de todo Brasil e do mundo virão à Capital do Oeste discutir as últimas novidades do setor.

O tema do congresso é: “Intensificação com sustentabilidade”. Isto significa aumentar a produção de grãos, carne e leite por área, maximização do uso do solo, aumento de renda ao produtor gerando produto de qualidade e respeitando o meio ambiente. De acordo com o coordenador do evento, o pesquisador do Iapar (Instituto Agronômico do Paraná), Elir de Oliveira, o Brasil possui um percentual de 50-70% das pastagens com características de degradação, dependendo da região. Há um compromisso internacional do Brasil junto ao IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) sobre o assunto. “O país assumiu o compromisso de recuperar 15 milhões de hectares de pastagens degradadas e incrementar 4 milhões de hectares de sistemas de integração lavoura-pecuária. O que será discutido no congresso são tecnologias para produzir mais, gerando mais renda e emprego, levando em conta as questões ambientais”, informou.

Um dos palestrantes é o pesquisador na área de solos do Iapar, Cezar Francisco Araújo Junior. Ele vai falar sobre a formação e tensão do solo induzidas pelo pisoteio animal e tráfego de máquinas nas Sipas. “O pisoteio animal possui algum impacto nas propriedades físicas do solo. Às vezes o produtor tem receio em adotar Sistemas Integrados de Produção Agropecuária alegando o impacto disso. No entanto, o tráfego de máquinas em conteúdo de água no solo inadequado é a principal forma de deformação da estrutura do solo o que compromete os fluxos de água e gases no solo. Além do maior potencial em causar danos, o tráfego de máquinas pode ser controlado, o que não ocorre com os animais, uma vez que o pisoteio ocorre de forma aleatória na área”, disse.

Segundo ele, desde de que o manejo da pastagem, dos animas e do maquinário seja feito adequadamente, Sistemas Integrados possuem o potencial de intensificar o uso da terra sem comprometer as propriedades físicas do solo. “Por isso que estratégias como o aporte adequado de resíduos na superfície do solo por meio da sucessão plantas forrageiras à soja e o manejo da taxa de lotação adequada à capacidade de suporte de carga da forrageira e do solo minimizam os impactos à estrutura do solo pelo tráfego de máquinas e pelo pisoteio animal”.

A promoção e organização do congresso é realizada por universidades públicas e privadas do Paraná e outros estados, extensão rural e instituições de pesquisas de âmbito nacional e estadual.  Produtores rurais, pesquisadores, estudantes e profissionais da área estão convidados. As inscrições podem ser feitas pelo site: www.ilpbrasil.com.br. Dúvidas, ligue para (45) 3096-0081.

feito com
icone criação de sites