Pesquisadores do Brasil e do mundo participam do evento em Cascavel

“Um evento que pensa o futuro”. A frase dita pelo chefe do Iapar (Instituto Agronômico do Paraná), Florindo Dalberto, marcou a solenidade de abertura do I Congresso Brasileiro de Sistemas Integrados de Produção Agropecuária e do IV Encontro de Integração Lavoura-Pecuária no Sul do Brasil, realizada nesta segunda-feira (21) à noite, no Centro de Convenções e Eventos de Cascavel. O evento, que vai até o dia 24, tem o objetivo do disseminar e promover o intercâmbio das informações sobre os SIPAs (Sistemas Integrados de Produção Agropecuária). Para isso, ocorrerão palestras técnicas, mesas redondas, apresentação de trabalhos e visitas técnicas.

Durante a abertura, o coordenador do evento e pesquisador do Iapar de Santa Tereza do Oeste, engenheiro agrônomo Elir de Oliveira, disse que sustentabilidade não é uma palavra da moda e que o Brasil e o mundo precisão produzir compatibilizando interesses econômicos, ambientais e sociais.

“Além de discutir tecnologias para produzir mais, gerando mais renda e emprego levando em conta as questões ambientais, o Congresso também serve como reflexão para criarmos uma sociedade brasileira de SIPAs e conseguirmos levar da maneira mais rápida possível as informações e inovações aos produtores rurais”, disse.

Nilson Cardoso, presidente em exercício do Crea-PR (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná), disse que boa parte do sucesso da agropecuária paranaense é fruto do trabalho dos mais de 80 mil associados ao Conselho. Ele também pregou a união do setor em prol do desenvolvimento de práticas que aumentem a produtividade com sustentabilidade. “Precisamos ser ruralistas e ambientalistas”.

Piotre Laginski, representante do CRMV-PR (Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná), contou a experiência com adoção de SIPAs na sua propriedade. “Os resultados foram tão bons que pensamos o porquê de não ter feito isso antes”. Ele também elogiou os trabalhos dos professores doutores Paulo Carvalho e Aníbal de Moraes, palestrantes do evento e que segundo ele mereciam receber uma medalha pelos serviços prestados ao avanço da produção agropecuária brasileira.

Já o presidente do Sindicato Rural de Cascavel e vice-presidente da Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná), Paulo Roberto Orso, frisou que o Congresso é uma grande oportunidade da classe produtiva, pois possibilita caminhos para produzir mais e melhor. Reforçando a declaração de Orso, o secretário de Agricultura de Cascavel, Agassiz Linhares Neto, falou que a agropecuária mais tecnificada melhora a vida de todos e, com a boa vontade política, pesquisa e disseminação das informações, os avanços serão cada vez maiores.

Dalberto elogiou o evento e a quantidade de pessoas e instituições envolvidas nele. “Estamos à frente do nosso tempo hoje. Estamos para discutir inovação e sustentabilidade no nosso setor”, falou. Logo em seguida, o diretor da Seab (Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná), Otamir Martins, realçou a importância de congressos como este, estimulantes e voltados a discutir os rumos da agropecuária.

Ao todo, mais de 210 trabalhos científicos estão sendo expostos e mais de 350 estudantes, produtores, técnicos e pesquisadores oriundos do Brasil, do Paraguai, da França e dos Estados Unidos e de várias estados brasileiros estão inscritos. Entre os parceiros do evento estão o Governo do Paraná, a Itaipu Binacional, a UFPR (Universidade Federal do Paraná), a UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Areac, a Embrapa, a Emater e diversas outras.

 

(V10 Comunicação/Assessoria de Imprensa)

feito com
icone criação de sites